Em destaque: Thais Bandinelli, Especialista em Gestão Hoteleira

Conheça Thais Bandinelli, Especialista em Gestão Hoteleira e Mestranda em Turismo e Hotelaria.

1. Qual foi seu primeiro emprego na indústria do turismo e hospitalidade?

Meu primeiro contato foi em estágio, na época da faculdade, nos setores de recepção e governança de um hotel da rede Atlantica. Esses estágios, durante a graduação e pós, me permitiram conhecer diversos tipos de operação, de 3 a 6 estrelas e rodar por TODOS setores, operacionais e administrativos – fiz estágio até na área de marketing/comunicação de uma grande rede nacional, assim como em portaria, manutenção… não neguei nenhuma porta que me foi aberta para conhecer a dinâmica dos hotéis que visitei e isso me deu uma ganho de visão do negócio inestimável.

O primeiro emprego, após formada, foi como assistente administrativo em um hotel em Salvador, contratada para organizar todo financeiro, estoque e inventário do hotel (não havia controle algum, acredita?). Pouco tempo depois – e tendo colocado já tudo em ordem 🙂 – passei para Gerente de Reservas da unidade – era um hotel de rede familiar. Gosto do administrativo, mas prefiro estar ligada aos setores do core business da hotelaria.

2. Descreva brevemente o que você faz atualmente.

Hoje eu me dedico ao meu Mestrado na área de Turismo e Hotelaria, na Univali, me dedicando ao estudo da gestão da experiência do cliente, focando nas mudanças impostas pelo cenário da pandemia e como será no pós-Covid e já vem sendo ao longo da retomada do nosso setor.

Sempre tive o desejo de entrar na área acadêmica, já tive experiência na hotelaria treinando equipes e lideranças e acho essa uma maneira fantástica de disseminar conhecimento dentro do setor. Em paralelo ao Mestrado, tenho uma iniciativa chamada Hospitalidade Digital, na qual compartilho dicas de gestão e atendimento para quem, assim como eu, é apaixonado por hotelaria e hospitalidade.

Pretendo, em breve, lançar cursos EAD sobre gestão da experiência do hóspede. Enquanto isso, ofereço serviços de hóspede oculto, diagnóstico e criação de processos, treinamento de equipes e mentoria para profissionais e hotéis.

3. O que te traz maior alegria no trabalho?

Sentir minha equipe bem, feliz, motivada, entregando um serviço de qualidade. Cultivar um clima organizacional leve, descontraído, onde as pessoas tenham prazer de estar ali. Essas são cenas que voltam à minha memória quando penso em momentos felizes na operação.

Afinal, o hoteleiro praticamente ”mora” dentro do hotel grande parte do seu dia, não é? Minha felicidade era me sentir bem como minha ‘segunda família’ e vê-la igualmente feliz em estar ali.

Acho que cuidar de pessoas é um dos segredos do sucesso na hospitalidade – e cuidar da sua equipe é o passo primordial.

4. Quais são seus superpoderes?

Minha sede por conhecimento (e compartilhá-lo) e atitude hospitaleira.

5. Como os seus pontos fortes te ajudam no seu trabalho?

Capacidade resolutiva, responsabilidade e atenção aos detalhes são essenciais na hotelaria. Não tem espaço para um “deixa que eu deixo”. Você está no palco, o serviço acontece ali, em tempo real. É você e o hóspede. Entregar a melhor experiência exige comprometimento e atenção a cada mínimo detalhe.

6. Imagine melhor experiência em um hotel. Como ela seria?

O que a Thais ‘hóspede’ enxerga como a melhor experiência – surpresas e detalhes. Superar expectativas – ir além do que eu já espero como serviço 100% me ganha. Atenção não a mais uma UH reservada, não a mais um hóspede ou slip de reserva, e sim atenção para a Thais, o que ela precisa, o que ela espera, o que ela deseja.

Recentemente tive uma experiência sensacional, muito em razão da atenção total da equipe em fazer toda surpresa que eu estava preparando dar certo – e deu muito mais que certo, foi perfeito, e eles foram atenciosos do pré ao pós.

Se o hotel tem um estrutura TOP, mas não tem pessoas para conectar essa estrutura com os hóspedes, sinto dizer… não está no caminho certo.

7. Algum conselho para mulheres que trabalham na hospitalidade e turismo?

Sempre fomos o coração da hotelaria. O detalhe, o cuidar, o bem-receber… tem coisas que as mulheres entendem melhor e precisamos tirar proveito disso.

Hoje, somos também o racional. E devemos mostrar a que viemos. Um atendimento excepcional dá excelentes resultados – devemos saber trabalhá-los, mostrá-los, repeti-los… Lideranças e gerências são feitas para nós também!

Alguns hotéis brasileiros que tiveram resultados excepcionais nos últimos meses são dirigidos por mulheres. Exemplos que me vêm em mente são o Le Canton e o Colline de France.

A hospitalidade pode ser desafiante para as mulheres, mas para aquelas que se jogam nesse desafio com atitude, o resultado vem! Pode confiar, principalmente e em primeiro lugar, em você mesma!

➡ Quer saber mais sobre a comunidade Brasileira na RaizUp? Leia o artigo em português: RaizUp Brazil com Paula Carreirão

Related Articles

Responses

Your email address will not be published. Required fields are marked *