Em destaque: Paula Carreirão, Líder RaizUp Chapter Brazil e Especialista de Conteúdo

Conheça Paula Carreirão, líder RaizUp Chapter Brazil e Especialista de Conteúdo Sênior na Asksuite.

1. Qual foi seu primeiro emprego na indústria do turismo e hospitalidade?

Meu primeiro emprego foi em um hostel no Rio de Janeiro como recepcionista. Foi uma das minhas melhores experiências! Eu cheguei sem saber nada e, quase dois anos depois, saí “graduada em hotelaria”. Aprendi um pouco de cada setor (em hostel, a gente se vira mesmo!) e conheci pessoas fantásticas. O clima de trabalho era incrível e, mesmo ficando sobrecarregada algumas vezes (principalmente na alta temporada), eu me divertia muito!

Os proprietários eram ótimos com a equipe e isso fez total diferença. Realmente, eu não poderia ter começado melhor. Tanto é que hotelaria não estava nos meus planos e acabei ficando por 7 anos (rs). Caí de paraquedas e abracei a oportunidade.

2. Descreva brevemente o que você faz atualmente.

Hoje, sou Especialista de Conteúdo em uma startup de tecnologia para a hotelaria, a Asksuite. Estava um pouco cansada da correria de hotelaria e comecei a buscar outras carreiras. Descobri o Marketing de Conteúdo e me apaixonei. O fato da empresa onde trabalho ser da indústria da hospitalidade tornou tudo ainda mais perfeito.

Como estrategista de conteúdo, planejo e executo várias ações dentro do Marketing com o objetivo de ajudar o público-alvo (hoteleiros) nos mais diversos temas e desafios. Escrevo posts e gerencio o blog, apresento e coordeno podcast e webinars, faço colaborações com outras empresas e mídias. Meu trabalho é focado no público internacional, o que torna tudo mais desafiador e muito empolgante.

3. O que te traz maior alegria no trabalho?

Minha maior motivação e alegria são os feedbacks que recebo. Receber uma mensagem ou comentário num artigo é um grande combustível para mim. Eles me mostram que estou na caminho certo . É uma sensação maravilhosa saber que seu trabalho ajudou alguém a superar um desafio ou aprender mais sobre um determinado assunto.

Até os feedbacks negativos são bons. Sei que parece ser “o certo a se falar”, mas é verdade! Eles me mostram que as pessoas tiraram um tempo para ler o que escrevi ou escutar o que falei, o que, provavelmente, atesta que estava certa na escolha do assunto, mas talvez tenha falhado na execução.

Além disso, o trabalho no Marketing me possibilita colaborar com diversos profissionais da área de tecnologia e hotelaria do mundo todo.  Eu amo o fato do meu trabalho ultrapassar fronteiras e ir além da tela do computador.

Trazer resultados para o time também é muito motivador. Eu sempre celebro as pequenas vitórias. São as minhas motivações diárias.

4. Quais são seus superpoderes?

Eu acho que um dos meus superpoderes é a minha habilidade de me entregar totalmente nos projetos que me envolvo combinada com a minha ousadia de tentar coisas novas que, muitas vezes, me assustam no início.

Eu acho que isso explica muito a minha trajetória nã0-tradicional. Graduada em Psicologia, já morei em 2 países e 3 cidades diferentes, trabalhei em hotelaria (de recepcionista a gerente de hotel), mudei para o marketing de empresa de tecnologia hoteleira e trabalho com marketing internacional… Sou intensa e sempre quero aprender mais.

Um superpoder divertido que tenho é a minha habilidade de cair na gargalhada com as coisas mais bobas, não importa onde esteja: reunião de trabalho, encontro com amigos ou até mesmo sozinha! Esse superpoder é bem conhecido pelas pessoas que trabalham perto de mim. É incontrolável!

Outro ponto forte é a minha capacidade de conectar conhecimentos, o que me ajudou muito toda vez que mudei de carreira. Eu acredito muito que nós nunca recomeçamos do zero. É sempre possível aproveitar as experiências prévias, mesmo que as conexões não sejam tão óbvias.  Meu lema é: ” melhor mudar do que se acomodar”, então esse superpoder me ajuda bastante.

5. Como os seus pontos fortes te ajudam no seu trabalho?

Trabalhar no Marketing exige muito mais que criatividade, ao contrário do que muitos acreditam. Para que sua mensagem realmente fale com o seu público e seja relevante, é necessário que você conheça bem essas pessoas com quem você está tentando se conectar e saiba muito sobre o tema do seu conteúdo.

Já que consigo conectar áreas diferentes com facilidade, eu uso muito o que aprendi como psicóloga e como hoteleira quando crio conteúdo. No Marketing Internacional, eu sempre penso na minha experiência vivendo fora do Brasil para ficar atenta às possíveis diferenças culturais na hora de me comunicar. Eu sempre faço pesquisas extensas e profundas sobre o que está acontecendo no marketing e na hotelaria.

Além disso, para se destacar em Conteúdo, você deve prestar atenção ao que está funcionando, testar, analisar. Minha alma incansável por coisas novas agradece esse aspecto do trabalho.

O que a maioria das pessoas não sabe, e eu não sabia no início, é que produzir conteúdo é um ato de coragem. Você está constantemente exposto. Você pode até achar que pode se esconder atrás dos seus textos, mas isso não é verdade. Principalmente porque as pessoas se conectam melhor quando o outro se mostra verdadeira e genuinamente.

6. Imagine a melhor experiência em um hotel. Como ela seria?

Sendo do Rio de janeiro e tendo sol e praias lindas no meu coração, para mim, a melhor experiência é simplesmente relaxar em um bangalô aconchegante de frente para o mar num lugar exclusivo.

Não precisa ser luxuoso, mas com toques de personalização e facilidades para explorar o que de melhor o lugar pode oferecer. Eu gosto de atendimentos mais informais e pessoais, de falar com a equipe e de estar cercada de um cenário de tirar o fôlego.

7. Algum conselho para mulheres que trabalham na hospitalidade e turismo?

Ao longo dos anos, eu aprendi que nós, mulheres, tendemos a subestimar nossas habilidades e capacidades. Frequentemente, desistimos de tentar aquela vaga de emprego porque acharmos que não temos A ou B. Achamos que temos que ser perfeitas em tudo para tentar.

Essa insegurança pode ser paralisante e eu acredito firmemente que as coisas só acontecem se estamos em movimento. Talvez essa vaga que você tanto quer, mas tem medo de não qualificada, seja seu par perfeito. Não seja tão dura consigo mesma e não subestime o seu valor. Tente. Senão, você nunca irá conseguir mesmo.

Também não pense que você esteja velha para qualquer caminho profissional. Eu mudei de carreira aos 30 e depois novamente aos 37. Não é tão simples, mas é possível.

Eu não estou dizendo para você simplesmente jogar tudo para alto ir atrás do seu sonho. Eu sou corajosa, mas não tão ingênua. Avalie sua posição, onde você está, e , se você não estiver satisfeita, comece a planejar como chegar aonde você quer.

Para ter a confiança necessária é preciso uma boa dose de autoconhecimento. Conhecer suas qualidades e habilidades, seus pontos fortes e fracos, o que você gosta ou não e estar ciente de que todos nós temos pontos cegos é a melhor arma que você pode ter para encarar qualquer desafio.

➡ Quer saber mais sobre a comunidade Brasileira na RaizUp? Leia o artigo em português: RaizUp Brazil com Paula Carreirão

Related Articles

Responses

Your email address will not be published. Required fields are marked *